Texto: Larissa Noguchi (Secom) / Fotos: Marco Santos (Ag. Pará)

 

No próximo dia 07 de março o Governo do Pará irá inaugurar o Hospial Regional do Baixo Tocantins - Santa Rosa. O hospital estava em reforma desde outubro de 2012 e agora abre às portas para ampliar os serviços de média e alta complexidade antes não oferecidos à população da Região de Saúde do Baixo Tocantins, como os de UTI e UCI, alcançando cerca de 740 mil habitantes de 11 municípios. 

Elivaldo Araújo, autônomo, está ansioso para a chegada do novo Hospital Regional do Baixo Tocantins Santa Rosa. Com a nova unidade hospitalar, ele e toda a população da região poderá contar com atendimento de saúde no próprio município, sem precisar se deslocar para a capital paraense. “Uma parente precisou de atendimento e tivemos que levar de táxi para Belém. Além do custo alto, o risco porque ela já chegou em um estado mais grave”, destacou. 

Em dezembro de 2018, a antiga administração estadual havia oficializado as obras no hospital como concluídas, mas em janeiro do ano seguinte, assim que assumiu o mandato, o governador Helder Barbalho realizou uma visita técnica ao hospital e lá constatou que um poste havia sido deixado no bloco 1, onde fica o vestiário masculino, além de ter testemunhado outros problemas, como áreas de infiltração e falta de ligação de esgoto.

A construtora responsável pelas obras retirou o poste no dia 17 de maio de 2019. No mesmo mês, a retomada dos serviços foi viabilizada após acordo firmado entre a Sanecon, empresa responsável pelo projeto, e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras públicas (Sedop), intermediado pela Auditoria-Geral do Estado (AGE). Em julho, durante vistoria na unidade, técnicos da AGE comprovaram que todas as pendências haviam sido resolvidas. O hospital ocupa uma área de 5.878 m², comportando oito blocos com 97 leitos (72 operacionais, 10 de UTI adulto e 10 de UCI neonatal) e mais cinco salas para pré-parto, parto e pós-parto.

A professora Elissandra Nogueira dos Santos, passou na frente do Hospital na manhã desta sexta-feira (29) para procurar informações sobre a abertura e recebeu a boa notícia da inauguração. "Eu moro aqui há dois anos e a expectativa é muito grande. A cidade é grande, carente e precisamos dessa assistência. Inclusive, uma conhecida morreu há pouco tempo pois não teve atendimento”, finalizou. 

A unidade vai oferecer atendimento em urgência e emergência para obstetrícia durante 24 horas, com classificação de risco, e atenderá, mediante encaminhamento, pacientes que necessitarem de consultas e internações em clínica médica, obstetrícia, ginecologia, pediatria clínica e cirúrgica, clínica cirúrgica em traumatologia/ortopedia e urologia.

O hospital contará com serviços de apoio em Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Serviço Social, Psicologia e Fonoaudiologia. Os serviços de diagnóstico contarão com laboratório de análises clínicas e anatomia patológica, métodos gráficos, raio-x, ultrassonografia com Doppler, endoscopia digestiva, mamografia, eletro e ecocardiograma. A previsão é de que sejam realizadas cerca de 1,8 mil consultas médicas por mês; 500 consultas mensais com profissionais não médicos; 2,8 mil atendimentos ao mês no setor de urgência e emergência; 370 internações mensais, divididas por especialidades e algo em torno de 13.500 procedimentos por mês realizados pelos Serviços de Apoio à Diagnose e Terapia (SADT). 

Além de Abaetetuba, o Hospital Regional do Baixo Tocantins - Santa Rosa deve atender também pacientes oriundos de Cametá, Moju, Igarapé Miri, Baião, Mocajuba, Barcarena, Oeiras do Pará e Limoeiro do Ajuru. O investimento da Sespa foi de quase R$ 26 milhões, segundo o Fundo Estadual da Saúde (FES).

 

Veja Também