Texto: Matheus Rocha (Sedop) / Fotos: Pedro Guerreiro (Ag. Pará)

Desde a última quarta-feira (18), mais de 1,5 mil trabalhadores estão atuando na limpeza de canais, em Belém. A ação, promovida pelo governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), tem como objetivo combater os alagamentos na cidade. Além disso, a ação também gerou oportunidades, possibilitando que trabalhadores possam exercer as suas atividades em prol da sociedade.

Ivanildo Pantoja tem 45 anos e experiência como pedreiro, eletricista e pintor. Desde a semana passada, ele está atuando na equipe responsável pela limpeza do Canal São Joaquim, no bairro do Barreiro. Ele conta que a equipe já recolheu uma grande quantidade de lixo, mato e até mesmo restos de sofás, camas e geladeiras. Ivanildo reconhece que, apesar do esforço, o trabalho é importante.

“Estamos atuando para melhorar a cidade e levar mais saúde para a população. Também agradeço a oportunidade, porque todos precisam trabalhar. Se não fosse esta ação, eu estaria sem trabalho” - Ivanildo Pantoja, trabalhador.   

Além de Ivanildo. Mais de 150 outras pessoas também estão atuando na limpeza manual do canal São Joaquim. As equipes atuam na retirada de lixo e mato para desobstruir e liberar o fluxo de água. O objetivo é impedir que a água transborde e invada a rua e casas.

Dona Rosa Castilho mora há 25 anos na Rua Nova, que fica às margens do canal. Ela conta que a área não alagava, mas, no início do mês de março, após uma forte chuva que coincidiu com a maré alta, o canal transbordou. “Minha casa ficou mais de um palmo debaixo d’água. Perdi geladeira e máquina de lavar. Até chorei de ver a minha casa desse jeito”, desabafou a aposentada de 65 anos.

Ainda segundo dona Rosa, esta é a primeira vez que equipes fazem um serviço intensivo de limpeza no canal. “Estou dando graças a Deus por estas equipes estarem trabalhando aqui. Está sendo muito bem feito”, concluiu.

Tucunduba – No Canal do Tucunduba, o trabalho de limpeza está adiantado. Segundo o gerente da empresa contratada para a execução do serviço, Leo Cunha, quase 4 mil toneladas de mato, lixo e entulho já foram retiradas do canal. O trabalho iniciou próximo à avenida Perimetral e segue até a travessa da Vileta, com a atuação de cerca de 600 trabalhadores e dezenas de máquinas.

Veja Também