Texto: Matheus Rocha (Sedop) / Fotos: Jader Paes (Ag. Pará)

Seu José Antônio Pimentel mora desde a década de 80 na Avenida Bernardo Sayão, bairro da Condor. Ao longo dos anos, ele assistiu o local, antes conhecido por concentrar bares, clubes e outros ambientes festivos, ser tomado pelo lixo. Junto com a falta de manutenção e educação, vieram os alagamentos, que prejudicam a vida de quem mora na área. “Aqui alaga sempre que tem maré alta e chuva. A água sobe e o lixo vem todo pra rua. Queria parabenizar o Governo do Estado por esta ação de limpeza”, afirmou seu José Antônio. 

Na manhã desta quarta-feira (18), equipes do Governo iniciaram ações emergenciais de limpeza e desobstrução de valas, fossas e canais em vários pontos de Belém, o objetivo é combater os alagamentos na cidade.

Na Avenida Bernardo Sayão, mais de 100 trabalhadores iniciaram os trabalhos de limpeza. Atuando manualmente e também com o auxílio de máquinas e caçambas, as equipes retiraram toneladas de lixo de valas, calçadas e também de dentro do canal. Segundo Leo Cunha, supervisor da empresa responsável pelo trabalho, até sábado, a expectativa é recolher cerca de 200 toneladas de lixo e entulho ao longo da Avenida.

Para a vendedora Dieni Ferreira, que há mais de 25 anos mora no Conjunto Radional II, que fica nas proximidades da Avenida Bernardo Sayão, no bairro da Condor, a ação de limpeza vai melhorar bastante o problema dos alagamentos. “Também é importante que haja uma orientação para que os moradores não joguem lixo nos bueiros. Isso vai melhorar ainda mais a situação, para que tenhamos mais saúde e para que no futuro não tenhamos tantos alagamentos em Belém”, concluiu a vendedora. 

Além da Avenida Bernardo Sayão, nesta quarta-feira as ações de limpeza também foram iniciadas em outros pontos da cidade como nos canais da TV. Dr. Moraes, Caripunas, 14 de Março, Vileta, Cipriano Santos, Gentil, Mundurucus, Três de Maio e na Avenida Generalíssimo Deodoro. 

No cruzamento da Rua dos Caripunas com a Avenida Generalíssimo Deodoro, no bairro da Cremação, dezenas de homens atuaram na limpeza das margens do canal. Para a aposentada Rosilda Salgado, que visita com frequência a irmã que mora na área, basta uma chuva um pouco mais forte para que a área “vá para o fundo”. Segundo ela, a ação com certeza irá melhorar os problemas de alagamentos no trecho.   

Pelos próximos 45 dias, outros pontos da cidade também vão receber ações emergenciais de limpeza. Cerca de 1,5 mil trabalhadores, além de máquinas e equipamentos, vão atuar na desobstrução de canais e bueiros, permitindo o fluxo do curso das águas e diminuindo a quantidade de alagamentos na cidade.  

Segundo Ruy Cabral, secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, a ideia é evoluir o trabalho com o objetivo de atender o máximo possível de áreas atingidas pelos alagamentos.

Veja Também