Durante a segunda Reunião de Monitoramento do semestre, realizada na noite desta quinta-feira, 21, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) reafirmou o compromisso de finalizar, até abril de 2020, a segunda fase do Projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, que compreende o trecho entre as Ruas dos Mundurucus e a 02 de Junho.

“Queremos que a obra termine, esse é o nosso principal pedido. É fato que a nossa rua parou de encher na medida em que o projeto foi avançando, mas ainda tem muito a se fazer”, foi o desabafo da moradora Eliana de Fátima, da Passagem Santa Helena, no bairro do Guamá.

A Reunião iniciou por volta das 18h, na Igreja Assembleia de Deus Templo 02 de Junho, na Terra Firme, e contou com a presença de, pelo menos, 80 moradores dos cinco bairros contemplados pelo projeto: Universitário, Terra Firme, Guamá, Marco e Canudos.

Estiveram presentes, também, engenheiros e as equipes técnicas da Sedop, da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) e das empresas contratadas para a execução do projeto.

“Desde a última reunião, há dois meses, conseguimos ter alguns avanços na obra, como a desocupação de quinze propriedades que ainda estavam aguardando decisão judicial e que abriram o campo para seguir com as obras. Também efetuamos o remanejamento total da adutora e retirada da ponte de madeira para a construção da ponte de concreto na Passagem Nossa Senhora das Graças”, explicou o coordenador de Fiscalização da Sedop, Gilmar Mota.

A previsão é que o edital de licitação para a contratação da empresa que fará as obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário até dezembro deste ano. Após licitada, as obras devem ser entregues em até doze meses. Os serviços fazem parte do primeiro trecho das obras, que vai da Rua São Domingos à Rua dos Mundurucus.

Também deve ser publicado, até janeiro de 2020, o edital de licitação para as obras da terceira fase do projeto de macrodrenagem. Após a contratação da empresa, a previsão é que a obra seja concluída em até 18 meses.

“Começamos o processo de negociação com os moradores das residências serão retiradas, por estarem no eixo das obras da terceira fase. Até o momento, já convocamos 50 famílias e estamos conversando sobre a melhor forma de negociar esta retirada”, concluiu a diretora de Mobilização e Articulação Comunitária da Sedop, Vanessa Catete.       

O edital de licitação para a contratação da empresa que vai executar a construção da unidade habitacional do Curtume, previsto para ser concluído no primeiro semestre de 2021, deve ser publicado até abril de 2020.

“Estamos aqui cumprindo o que prometemos na primeira reunião, que era de prestar contas com a comunidade a cada dois meses. Queremos que a população acompanhe os avanços da obra”, explicou o secretário adjunto de Gestão e Desenvolvimento Urbano, Valdir Acatauassu.  

Veja Também