A 15ª Reunião Ordinária do Conselho das Cidades (Concidades), que teve início na última terça-feira (20), em Belém, contou com a participação de conselheiros de entidades civis e do poder público do Estado, além de representantes de movimentos sociais e associações. Temas como moradia, regularização fundiária, saneamento, rede de esgoto e mobilidade urbana foram tratados durante os três dias de programação

O Carlos Silvestre, da Associação de Moradores de Terrenos de Marinha do Estado do Pará (AMTEMEPA), participou do encontro para ter acesso a mais informações sobre as políticas voltadas para habitação e moradia no Estado. “A discussão sobre o assunto nos trouxe até aqui, porque queremos dar início ao nosso projeto de habitação. Então a gente veio para escutar as sugestões e ver de que forma podemos proceder e, de repente, buscar de alguma maneira uma resposta benéfica para a nossa luta”.

Nesta quinta-feira (22), no auditório da Imprensa Oficial do Estado (Ioepa) e, pela parte da tarde, na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), os conselheiros apresentaram, para aprovação, os encaminhamentos definidos durante os encontros das Câmaras Técnicas de Habitação, Saneamento Ambiental e Resíduos Sólidos, Planejamento e Gestão Territorial, e Transporte e Mobilidade Urbana, realizadas no dia anterior.

“A partir do conselho, podemos levar aos municípios de áreas mais distantes da capital paraense, projetos de interesse social. Por isso, é importante que nós, conselheiros, sejamos atuantes, para dar força ao Concidades e conseguir representatividade com a atual gestão”, ressaltou a conselheira do município de Santarém, localizado na região do Baixo Amazonas.

Dentre as principais pautas discutidas, as câmaras reafirmaram a importância em se definir, pelos órgãos envolvidos, os planos estaduais de saneamento básico, regularização fundiária e mobilidade, além da participação mais incisiva das administrações municipais nestas questões.

“O conselho se reúne, também, para cobrar e auxiliar o próprio governo estadual na cobrança de prefeitos e vereadores no envolvimento destas problemáticas. Porque não é possível pensar os temas separadamente, eles se complementam e afetam principalmente crianças e idosos do interior do Estado, que precisam de educação e saúde de qualidade, de água tratada e saneamento”, afirmou o conselheiro do município de Salvaterra, representante da região do Marajó, Pedro Paulo Duarte.

O próximo encontro está previsto para os dias 26, 27, 28 e 29 de novembro, em Belém, para cobrar retorno das exigências firmadas nesta reunião e avançar nas discussões referentes ao desenvolvimento do Pará.

“Eu fico grato pelo esforço dos conselheiros em se manterem presentes e participarem do nosso trabalho, porque nós temos em comum a vontade de trazer melhorias para o nosso Estado e buscar o seu crescimento. Então, tornar estes encontros frequentes é fundamental para o avanço destas ações por todo o Pará”, concluiu o secretário executivo da Sedop, Ruy Cabral.

 

Veja Também