Texto: Matheus Rocha (Sedop) / Fotos Marcelo Seabra (Ag. Pará)

Joaquim e Joel Rodrigues moram há 30 anos na área que margeia o canal Água Cristal, no bairro da Marambaia, em Belém. No mês de março passado, pai e filho sofreram com os prejuízos causados pelos alagamentos. A água invadiu a casa onde moram, algo que, segundo eles, não acontecia há pelo menos duas décadas. 

“Há 20 anos toda essa área aqui ficava alagada, depois de um tempo melhorou. Agora, com a chuva e a maré alta do mês passado, voltou a alagar. Ficamos com a água pela cintura e estamos com medo de novas enchentes”, diz Joel. 

Já o pai, Joaquim, relatou os prejuízos contabilizados pela família. “Perdi cama, geladeira, sofá e roupas. Este ano a chuva foi acima da média, a gente não esperava que o canal enchesse tanto”, conta o aposentado. 

Para amenizar o drama dos moradores de áreas próximas a canais, o Governo do Estado está promovendo uma ação emergencial de limpeza, com o intuito de reduzir a quantidade de pontos de alagamentos na capital.

Esta semana, 200 homens estão atuando em uma frente de serviços ao longo do canal Água Cristal, que está recebendo limpeza manual para a retirada de lixo e entulho das margens e do leito, permitindo que a água possa escoar com mais facilidade.

Quem já vivenciou o drama causado pelos alagamentos, sabe da importância de uma ação como a que está sendo feita. “Nunca foi feito um serviço assim. Estamos vendo um número grande de trabalhadores limpando o canal e isso deixa a gente mais aliviado. Era pra ser sempre assim”, destaca Joaquim Rodrigues.

A ação no canal Água Cristal se estenderá por toda a próxima semana, beneficiando moradores de ruas e passagens transversais das proximidades. 

Canal da Pirajá

Nesta quinta-feira (09) as equipes do Governo também iniciaram o trabalho de limpeza e desobstrução no canal da Travessa Pirajá, que fica no bairro da Pedreira. Duzentos homens atuam na limpeza manual e também mecânica da área. 

A costureira Erny dos Reis mora na Travessa Pirajá,  às margens do canal. Ela conta que no mês de março tudo em redor do córrego foi para o fundo depois das fortes chuvas e da maré alta que atingiram a cidade de Belém. Segundo ela, foi a primeira vez que o canal transbordou no trecho entre as Travessas Lomas Valentinas e Angustura.

“Este ano foi a primeira vez que o canal transbordou. Coincidiu a maré alta com a chuva e a rua foi para o fundo. O canal é muito sujo. As pessoas jogam tudo que não presta aí: é geladeira, guarda-roupa, colchão, vai tudo parar aí dentro. O trabalho que está sendo feito já deu um aspecto melhor para o ambiente”, comentou dona Erny.

As equipes vão seguir com o cronograma de limpeza das margens do canal da Pirajá e depois passarão para a parte de dentro, com a retirada de lixo e entulho do fundo do córrego.

 

Veja Também